Notícias
Notícias
25 de Junho de 2021
Tamanho da letra Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir
Japão usa supercomputador mais potente do mundo para buscar cura para Covid


O supercomputador japonês Fugaku está sendo utilizado por pesquisadores em uma tentativa de identificar novos tratamentos para a covid-19. O projeto é liderado por uma equipe da Universidade de Tóquio, que vai usar a máquina para simular interações moleculares em massa.

Em comunicado, a Fujitsu, empresa que construiu o supercomputador juntamente com o instituto de pesquisa Reiken, afirmou que o objetivo é identificar compostos que possam ser usados no combate à infecção pelo coronavírus.

Além disso, o Fugaku tentará esclarecer o mecanismo molecular pelo qual as infecções da covid-19 são inibidas.

O Fugaku vai realizar cálculos para identificar compostos inibidores com base no comportamento dinâmico de proteínas virais e ainda poderá prever as propriedades de futuras mutações.

"Ao utilizar o Fugaku, simulações moleculares para proteínas virais e formulação de compostos inibidores podem ser aceleradas, esclarecendo a complexidade dos estados de ligação e interações entre proteínas virais e compostos inibidores, com o objetivo de identificar compostos inibidores que podem levar à descoberta de novas drogas terapêuticas em um estágio inicial", diz o comunicado da empresa.

A pesquisa será liderada por Takefumi Yamashita, professor associado do Projeto Centro de Pesquisa para Ciência e Tecnologia Avançada (RCAST), da Universidade de Tóquio.

O mais rápido do mundo


Construído com processadores Fujitsu A64FX, o Fugaku começou a ser operado em 2019 e recebeu o título de supercomputador mais rápido do mundo em 2020.

Em testes realizados pela Top 500, uma associação que monitora e registra supermáquinas, o Fugaku atingiu 415,5 Pflops (petaflops), resultado três vezes maior que o obtido pelo Summit, da IBM, até então o líder do ranking.

Você pode se perguntar: "mas o que esses 415,5 Pflops significam?". Vamos lá: flop é sigla para Floating-point Operations Per Second ou, em português, operações de ponto flutuante por segundo. Essa unidade de medida ajuda a entender quantos cálculos uma máquina consegue fazer por segundo.

No caso do Fugaku, os 415,5 Pflops significam que ele consegue realizar quatrilhões de cálculos por segundo. Isso quer dizer que o supercomputador tem o mesmo poder que 327.963 celulares Galaxy S20, por exemplo, ou ainda 40.421 unidades do PlayStation 5.

Em comparação ao que temos no Brasil, o supercomputador Dragão, da Petrobras, que começou a operar em 2021, deve atingir até o final do ano a capacidade de 40 petaflops (Pflops), segundo a companhia.

Ou seja, o Fugaku tem capacidade cerca de 10 vezes maior que a máquina mais potente da América Latina.




Fonte: TILT - Uol

Compartilhe

LEIA TAMBÉM