Notícias
PLR
13 de Fevereiro de 2019
Tamanho da letra Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir
Em assembleia, trabalhadores da Trust Processamentos aprovam PLR
Aceitação unânime da proposta beneficiará mais de 20 funcionários



Os trabalhadores da Trust Processamentos de Dados aprovaram, por unanimidade, a renovação do acordo de Participação nos Lucros e/ou Resultados (PLR) para o período de 2018. A assembleia aconteceu na última segunda-feira (11), na sede da empresa, na cidade capital Paulista.

O programa deve beneficiar cerca de 21 trabalhadores, que receberão em duas parcelas. A primeira está prevista para a próxima sexta-feira (15) e a segunda, para o dia 15 de março. Pedro Luiz Saldanha, diretor que representou o Sindpd na assembleia, acredita que os trabalhadores estão cientes dos seus direitos.

"Os trabalhadores estão recebendo a PLR desde 2016, ou seja, desde que a empresa se cadastrou em nossa base. Os trabalhadores da empresa já entenderam a cultura do pagamento da PLR, cuja divisão é feita de maneira justa. Ela [PLR] reflete a participação de cada um nos resultados, por meio de indicadores negociados entre empresa e empregados e a atuação importante do Sindpd, fazendo a intermediação na relação capital x trabalho", falou.

Além da votação, durante a assembleia Saldanha fez considerações a respeito da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2019, cujas negociações estão paralisadas pela intransigência patronal, que se recusa a negociar para aplicar lei rasa (saiba mais).

"Os trabalhadores deixaram de ter a garantia da jornada reduzida de 40 horas semanais, PLR, hora extra, auxílio-creche, vale-refeição, assistência médica, complementação do auxílio-previdenciário, homologações no Sindicato, reembolso por quilometragem, política de viagens a serviço, adicional de sobreaviso, adiantamento salarial, entre outros benefícios historicamente conquistados", explicou o diretor.

Por isso, o Sindpd está de portas abertas para a Trust e todas as empresas da base para o fechamento de acordos coletivos que garantam e respeitem os direitos da categoria.

Compartilhe