Notícias
Campanha Salarial
22 de Janeiro de 2020
Tamanho da letra Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir
Em reunião extraordinária, diretoria do Sindpd avalia estratégia após recusa dos patrões em negociar
Diretoria do sindicato referendou decisão de não se submeter aos desaforos do SEPROSP e irá negociar os acordos coletivos diretamente com as empresas



Em reunião extraordinária nesta terça-feira (21), a diretoria do Sindpd avaliou as estratégias a serem tomadas após a primeira rodada de negociações com o SEPROSP, na última sexta-feira (17). Os diretores referendaram a decisão de não se submeter às premissas do sindicato patronal. Assim, os diretores sindicais preferiram negociar os acordos coletivos de trabalho diretamente com as empresas.

"A estratégia deles já é conhecida. Os empresários colocam os "jabutis" para tentar intimidar o sindicato a retirar direitos ou empurram a decisão pro tribunal. Não vamos aceitar esse jogo. Somos um sindicato com 35 anos de história. Nossa categoria conquistou uma jornada de 40 horas e a PLR com muita luta e exigimos respeito. Ano passado eles enrolaram o ano inteiro pra resolver a questão na Justiça, fato que nos impediu de iniciar um processo de negociar diretamente com as empresas. Esse ano não tem essa conversa!", afirmou o presidente do Sindpd, Antonio Neto.



O Sindpd encaminhará ainda esta semana para todas as empresas do estado São Paulo uma circular convocando os patrões para as negociações individuais, tendo por base a pauta aprovada nas assembleias de dezembro.

Na reunião, foi repassada a pauta aprovada nas assembleias e os diretores receberam orientações de como proceder na estruturação dos acordos coletivos de trabalho com as empresas.

"Por respeito à nossa história, decidimos que não vamos ouvir e nem tolerar qualquer tipo de indecência. Vamos discutir diretamente com as empresas e buscar acordos que garantam salários dignos e a manutenção de todos os direitos. Quem quiser retirar direito de trabalhador não vai ter aval dessa diretoria", destacou Antonio Neto.




Compartilhe

LEIA TAMBÉM