Notícias
Jurídico
06 de Dezembro de 2017
Tamanho da letra Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir
Justiça condena Prodesp a pagar multa por atraso do reajuste salarial aos trabalhadores
Sindpd ajuizou ação contra a empresa após verificar ilegalidade; vitória garante que cerca de 2 mil profissionais de TI tenham garantidos direitos previstos em Convenção Coletiva de Trabalho de 2017



Mais uma vez a Prodesp atrasa a aplicação do reajuste salarial conquistado por meio de Convenção Coletiva de Trabalho do Sindpd. A empresa, que já enfrentou três condenações pelo mesmo motivo, foi condenada, no último dia 30 de novembro, a pagar a multa por atraso do reajuste salarial definido durante negociação salarial, que acabou em fevereiro deste ano. Cerca de 2 mil trabalhadores serão beneficiados com a ação.

"Em 2015 eles também foram intimados e condenados a apresentar os cálculos da multa do atraso referente ao reajuste daquele ano", relembrou o coordenador do departamento jurídico do Sindpd, José Eduardo Furlanetto. "Se vira uma folha de pagamento e não entra o valor devido, imediatamente o Sindpd entra em ação, como aconteceu este ano novamente".

Com o fim das negociações salariais em fevereiro, o Sindpd encaminhou, como faz todos os anos, uma circular conjunta solicitando a todas as empresas do estado o pagamento devido para os trabalhadores. A partir do cadastro do documento no Ministério do Trabalho, pela lei, a CCT tem que ser cumprida em até 3 dias.

Segundo Furlanetto, a Prodesp costuma exceder o prazo para convocar o CODEC (Conselho de Defesa dos Capitais do Estado), órgão fiscalizador da Secretaria da Fazenda, o que colabora para que os pagamentos dos trabalhadores sejam atrasados. "Neste ano, o pagamento do reajuste foi realizado apenas no dia 9 de junho, quase 3 meses após o registro da CCT, fato que acarretou no ajuizamento da ação", relatou.

Diante disso, a sentença favorável da juíza do trabalho substituta da 1ª Vara de Trabalho de Taboão da Serra, Katiussia Maria Paiva Machado, definiu que a PRODESP pagasse, a cada um de seus trabalhadores, a multa normativa por atraso no pagamento do reajuste salarial em descumprimento da cláusula 4ª da CCT de 2017 do Sindpd.

"Essa decisão tem a importância de mostrar para os trabalhadores que o Sindicato está atento com relação ao respeito dos direitos do profissional de TI, para que sejam cumpridos e concretizados pela empresa. O Sindpd está atrás, fiscalizando as empresas e brigando pelo trabalhador", concluiu o advogado responsável pela ação, Márcio Limberger.

A sentença é de 1º grau, e ainda cabe, por parte da empresa, recorrer dessa decisão junto ao Tribunal Regional do Trabalho - 2ª Região.




Compartilhe

LEIA TAMBÉM
Conheça o Sindpd Digital
Conheça o Sindpd Digital

O Sindpd está no Instagram
O Sindpd está no Instagram
POR QUE SE FILIAR?
PESQUISAR BENEFÍCIO

Área ou segmento


Tipo

Categoria

Cidade



Buscar
Reservas de colônias


NOTÍCIAS MAIS...

Colônia de Férias
Facebook do Neto

Últimas do Convergência Digital


Últimas do IDG NOW


Zap Neto
Zap Neto

CSB Zap
CSB Zap
Homenagens - mulher
Homenagens - 75

HOMENAGENS
HOMENAGENS

FGTS
FGTS