Notícias
Notícias
24 de Setembro de 2019
Tamanho da letra Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir
Trabalhadores da BB Tecnologia e Serviços entram em greve parcial nesta quarta-feira
Após as três primeiras reuniões referentes ao acordo coletivo de trabalho, os funcionários da empresa irão trabalhar apenas 40% do expediente



Está marcado para esta quarta-feira, dia 25 de setembro, a paralização dos funcionários da Banco do Brasil Tecnologia e Serviços (BBTS). Os trabalhadores das unidades de São Paulo e Joinville farão 40% do expediente, uma forma de protesto contra a empresa, que propôs um reajuste salarial de apenas 40% do INPC.



De acordo com o OLT, Wildston Xavier de Mesquita, a greve é importante para que os trabalhadores mostrem a sua insatisfação, e também para amenizar a dura postura da empresa. "O ato tem por objetivo mostrar, tanto para a empresa quanto para os órgãos reguladores de estatais, que queremos uma proposta digna e que a categoria está unida. Além disso acreditamos que o ato irá flexibilizar a direção da BBTS".



A conjuntura da greve se formou após as reuniões, que visavam discutir o Acordo Coletivo de Trabalho 2019/2020, terminarem com sucessivos desentendimentos. Porém o estopim foi dado após a empresa abandonar as negociações antes do dia 30 de setembro, quando ocorreria o último encontro referente ao ACT, como conta o também OLT Enver Pandovezzi. "Estávamos seguindo o calendário proposto pela própria BBTS, que de forma unilateral solicitou mediação ao TST para finalizar a negociação e continuar com seu pacote de maldades. Apresentou um reajuste abaixo da inflação e retirou direitos do acordo vigente, alegando que algumas cláusulas têm garantia em Lei e na CLT, porém sabemos que as leis são alteradas".



Relembre o caso:

No dia 20 de agosto os diretores sindicais da Feittinf com representantes da BB Tecnologia e Serviço. A reunião, que aconteceu na sede da empresa em Brasília, tinha como objetivo dar início às negociações referentes ao Acordo Coletivo de Trabalho 2019/2020.

O encontro, porém, terminou sem um consenso entre as partes. O desacordo foi motivado pela apresentação da contraproposta da empresa, que excluía diversas cláusulas do interesse de seus profissionais, como conta o diretor sindical Paulo Roberto de Oliveira "a impressão é de que a BB nem se quer analisou o texto, ou então o fez com muita má vontade. Apenas isso explica uma proposta tão aquém dos trabalhadores".

Já em 4 de setembro aconteceu nova reunião entre a Federação Interestadual dos Trabalhadores em Tecnologia da Informação (Feittinf) e a Banco do Brasil Tecnologia e Serviços (BBTS). O encontro ocorreu na sede da empresa em Brasília e tinha como pauta dar continuidade às negociações referentes ao Acordo Coletivo de Trabalho 2017/2019.

Após a falta de consenso que ocorreu na primeira reunião realizada no dia 20 de agosto, em que a BBTS apresentou uma contraproposta que, posteriormente, foi desaprovada pela maioria dos trabalhadores da categoria, aconteceu nova negociação. A empresa então apresentou um texto mais flexível, anunciando um reajuste salarial de 30% do INPC e mantendo diversas cláusulas outrora excluídas, apesar de algumas alterações e da exigência de que a sua proposta seja aceita em sua totalidade.

No último dia 16 de setembro, segunda-feira, ocorreu a terceira reunião entre a Federação Interestadual dos Trabalhadores em Tecnologia da Informação (Feittinf) e o Banco do Brasil Tecnologia e Serviços. O encontro, que aconteceu na sede da empresa em Brasília, terminou com um impasse referente as cláusulas econômicas.

O atrito foi motivado, principalmente, pela proposta de reajuste proposto pela companhia, que foi de 40% do índice do INPC. De acordo com a ata da reunião, a empresa justificou o percentual do reajuste em razão da atual situação econômica do país, em que diversas agências fecharam, reduzindo o parque de equipamentos atendidos pela assistência técnica. Já para o OLT Wildston Xavier de Mesquita, o reajuste é muito abaixo do esperado. "A empresa diz não poder avançar mais pois está seguindo a orientação dos órgãos controladores das estatais - como o DEST - que são vinculados ao Ministério da Economia. Dessa forma fez uma pífia proposta de 40% do INPC, que continua péssima", afirmou.






Compartilhe

LEIA TAMBÉM

Conheça o Sindpd Digital
O Sindpd está no Instagram
Colônia de Férias
PESQUISAR BENEFÍCIO

Área ou segmento


Tipo

Categoria

Cidade



Buscar
Reservas de colônias


NOTÍCIAS MAIS...


Últimas do Convergência Digital


Últimas do IDG NOW

Sindpd com VC: Associe-se ao Sindpd e conheça todos os benefícios
Facebook do Neto

Zap Neto
Zap Neto

CSB Zap
CSB Zap
Homenagens - mulher
Homenagens - 75

HOMENAGENS
HOMENAGENS

FGTS
FGTS