Notícias
Imprensa
WhatsApp
17 de Maio de 2023
Tamanho da letra Diminuir Fonte Aumentar Fonte Imprimir
23% dos trabalhadores devem perder emprego ou ser realocados até 2027
O 'Future of Jobs Report' é publicado a cada dois anos pelo Fórum Econômico Mundial



Nos próximos cinco anos, um a cada quatro trabalhadores (23%, para ser mais exato) deve perder o emprego - ou ser realocado em um novo posto - por causa da inteligência artificial e de outras tecnologias digitais. Essa é uma das principais conclusões do "Future of Jobs Report" (Relatório sobre o Futuro do Trabalho, numa tradução livre), recém-lançado pelo Fórum Econômico Mundial.

Publicado a cada dois anos, o estudo tem por objetivo captar as principais tendências do mercado de trabalho. Para a atual versão, foram consultadas 803 empresas espalhadas por 45 países.

Otimismo X Pessimismo

No fim das contas, a tecnologia vai criar ou destruir empregos?

O relatório do Fórum Econômico Mundial fornece algumas pistas sobre essa que é uma das questões mais debatidas da atualidade. Metade das corporações ouvidas situa-se na banda dos otimistas. Para elas, o big data, os sistemas de nuvem e a inteligência artificial vão gerar novos postos de trabalho.

Por outro lado, 25% acreditam que a tecnologia vai aniquilar vagas.

Esse olhar sobre o copo meio cheio ou meio vazio varia de acordo com o segmento empresarial. Quem é do ramo dos meios de comunicação tende a ser menos eufórico do que quem atua com e-commerce, por exemplo.

Mas o relatório não deixa de fazer uma projeção sobre os postos de trabalho envolvidos direta ou indiretamente nas cadeias produtivas das empresas analisadas - um total de 673 milhões.

Ainda que a proporção de empresas otimistas seja superior à das pessimistas, o estudo prevê que o número de vagas criadas será menor do que o das eliminadas. Até 2027, a estimativa é de um saldo negativo de 14 milhões de empregos.

Automação em ritmo mais lento?

Hoje, um terço das tarefas nas empresas consultadas pela pesquisa é realizada por robôs e sistemas automatizados. Em outras palavras, a maior parte do trabalho continua sendo feito por seres humanos.

A esmagadora maioria das companhias tem planos de investir em tecnologia e plataformas digitais num futuro próximo. Porém, o estudo do Fórum Econômico Mundial detectou uma curiosa queda na expectativa de robotização.

No estudo anterior, a perspectiva era de que, em cinco anos, 47% das tarefas fossem automatizadas. Na atual edição, esse índice recuou para 42%. Sinal de que, ainda que inevitável, a adoção de tecnologias digitais pode acontecer num ritmo menos frenético do que se imaginava até bem pouco tempo atrás.

Desigualdade entre países desenvolvidos e em desenvolvimento

Um dos principais desafios apontados pelo estudo é o comportamento do mercado de trabalho na ressaca da pandemia e da Guerra da Ucrânia.

Nos países desenvolvidos, o desemprego tem se mantido em níveis consideravelmente baixos. Em alguns casos, menores até do que se verificava antes da explosão do covid-19.

Atualmente, a taxa média de desocupação nas nações da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) é de 4,9% - o menor desde 2001.

Já nos países em desenvolvimento, o desemprego não tem dado trégua. Pior: a queda na renda, motivada pela disparada da inflação, é uma realidade.

De acordo com a OIT (Organização Internacional do Trabalho), pela primeira vez em quinze anos houve uma redução real no valor dos salários: 0,9% no primeiro semestre de 2022.

Uma das hipóteses levantadas no relatório para explicar a disparidade entre países desenvolvidos e emergentes é a falta de "espaço fiscal" (ou seja, de investimentos públicos) para dar suporte a empresas e trabalhadores.

Além do aumento dessa discrepância entre as nações, o estudo também aponta outras fontes de preocupação para o mercado de trabalho nos próximos cinco anos, como "o crescimento da instabilidade geopolítica, a incerteza econômica, a disparada da inflação e a elevação nos preços das commodities".

Reportagem de Carlos Juliano Barros - (Informações do Uol)

No site e nas redes sociais do Sindpd, você trabalhador e estudante de TI tem espaço garantido para artigos, reportagens, estudos de iniciação científica, mestrado e doutorado sobre os avanços tecnológicos em IA's (Inteligência Artificial). Envie seu texto para o Zap do Sindpd (11) 99989-1023 e/ou [email protected]


banner filie-se
Compartilhe

WhatsApp
LEIA TAMBÉM
Colonia PCDs vagas


PESQUISAR BENEFÍCIO

Área ou segmento


Tipo

Categoria

Cidade

BUSCAR


View this profile on Instagram

Sindpd (@sindpdsp) Instagram photos and videos



MAIS ACESSADAS
Clausula 53 Benefícios - Resumo reduz